Acessórios para pressão invasiva e não invasiva: confira os principais

Acessórios para pressão invasiva e não invasiva
9 minutos para ler

A avaliação da pressão arterial é um dos métodos mais usados na área da saúde e tem como principal finalidade apresentar uma medida indicadora da avaliação cardiocirculatória. Esse também é o recurso mais utilizado para o diagnóstico e tratamento da hipertensão.

A medição da pressão arterial é um indicador essencial do estado fisiológico e funcional do paciente. Por essa razão, a falta de acesso a equipamentos médicos precisos é uma barreira significativa para o atendimento adequado. 

Neste post, você vai entender melhor a importância de adquirir acessórios para pressão invasiva e não invasiva de qualidade, além dos cuidados necessários na escolha desses equipamentos. Fique conosco e confira!

Medição invasiva e não invasiva

A frequência cardíaca, frequência respiratória, saturação de oxigênio, temperatura corporal e pressão arterial são todos sinais vitais mensurados e que trazem a mais importante dimensão do estado fisiológico do paciente. 

As duas categorias para medição da pressão arterial são o monitoramento da pressão arterial não invasiva e o monitoramento da pressão arterial invasiva. 

A principal diferença entre os métodos de medição é que um mede a pressão diretamente, ou seja, fazendo a interface de seus sensores de pressão diretamente com o que está sendo medido (sangue), enquanto o outro mede a pressão indiretamente, observando alguma pressão transmitida, volume deslocado ou comportamento dos vasos sanguíneos.

A triagem, o diagnóstico e o tratamento da hipertensão são feitos exclusivamente com dispositivos não invasivos, enquanto o monitoramento invasivo é usado em um ambiente hospitalar para monitoramento cardiovascular, o que permite uma avaliação mais rápida tanto da hiper quanto da hipotensão. Os métodos invasivos devem ser usados ​​apenas em ambientes de cuidados de saúde especializados. 

Agora que você conhece as diferenças entre os dois métodos de medição, veja os principais acessórios para pressão invasiva e não invasiva a seguir.

Medição não invasiva

Na medição não invasiva, as metodologias auscultatórias e oscilométricas são as mais simples e rápidas de serem usadas ao invés das medidas invasivas, pois requerem menos experiência na adaptação, praticamente não apresentam complicações e são menos desagradáveis ​​e dolorosas para o paciente. 

Entretanto, essas medidas não invasivas podem produzir uma precisão um pouco menor e pequenas diferenças sistemáticas nos resultados numéricos. Os métodos de medição não invasivos são mais usados ​​para exames e monitoramento de rotina.

Método de ausculta

Esse método utiliza estetoscópio e esfigmomanômetro para melhorar a capacidade da aferição da pressão arterial.  Esse tipo de avaliação compreende o uso de um manguito inflável (Riva-Rocci), colocado ao redor do braço quase na mesma altura vertical do coração, preso a um manômetro de mercúrio ou aneróide. 

O manômetro de mercúrio, considerado o padrão ouro para aferição da pressão arterial, mede a altura de uma coluna de mercúrio, dando um resultado absoluto sem necessidade de calibração. Assim, evita-se erros e desvios de calibração que afetam outros métodos. 

Um manguito de tamanho apropriado é ajustado e inflado de forma manual, apertando várias vezes um bulbo de borracha até que a artéria esteja completamente ocluída. Ouvindo com o estetoscópio a artéria braquial no cotovelo, o examinador libera aos poucos a pressão no manguito.

Quando o sangue começa a fluir na artéria, o fluxo turbulento cria uma batida (primeiro som de Korotkoff). A pressão na qual esse som é ouvido pela primeira vez é a pressão arterial sistólica.  A pressão do manguito é posteriormente liberada até que nenhum som possa ser ouvido (quinto som de Korotkoff), na pressão arterial diastólica.

Método oscilométrico

O método oscilométrico é semelhante ao auscultatório, mas com sensor eletrônico de pressão que é encaixado de tal maneira que detecta o fluxo sanguíneo, ao invés do estetoscópio e do ouvido do especialista. Na prática, o sensor de pressão é um dispositivo eletrônico calibrado com uma leitura numérica da pressão arterial. 

Para que o acessório de pressão não-invasivo se mantenha preciso, a calibração deve ser verificada periodicamente, ao contrário do manômetro de mercúrio que é mais preciso.

A medição oscilométrica não exige tanta habilidade comparada à técnica auscultatória. Ela pode ser adequada para uso por uma equipe não treinada e para monitoramento domiciliar automatizado do paciente.

Medição invasiva

medição invasiva da pressão arterial, proporciona resultados com maior precisão. Essa aferição da pressão é realizada com a introdução de cânulas intravasculares pelo meio da inserção de uma agulha de cânula em uma das artérias (geralmente radial, femoral, dorsal do pé ou braquial). Isso geralmente é realizado por um anestesiologista ou cirurgião em um hospital.

A cânula usada nesse tipo de método, deve ser conectada a um sistema estéril cheio de fluido, que é então conectado a um transdutor de pressão eletrônico. A vantagem desse tipo de sistema deve-se ao fato de que a pressão é constantemente monitorada (batimento a batimento) e uma forma de onda (um gráfico da pressão em relação ao tempo) pode ser exibida.

A canulação da artéria para o monitoramento da pressão raramente está associada a complicações como trombose, infecção e sangramento. Os pacientes monitorados com essa metodologia invasiva, necessitam de uma supervisão contínua, pois há perigo de sangramento grave se a linha da cânula for desconectada acidentalmente.

Os acessórios de pressão invasiva são sistemas de monitoramento de projetados para adquirir informações de pressão para exibição e processamento. Há uma variedade de monitores de pressão vascular invasiva para aplicações em traumas, cuidados intensivos e salas de cirurgia.  

Método da canulação arterial

Essa metodologia para verificar a pressão arterial é realizada por meio da canulação (cateter) de uma artéria periférica. Essa forma de monitoramento é comumente utilizada no manejo de pacientes criticamente enfermos e no período perioperatório. 

Cada contração cardíaca exerce uma determinada pressão, o que resulta em um movimento mecânico do fluxo dentro do cateter. O movimento mecânico é transmitido a um transdutor por meio de um tubo rígido cheio de fluido. 

Esse transdutor converte essas informações em sinais elétricos, que são transmitidos a um monitor que exibe uma forma de onda arterial batimento a batimento, bem como as pressões numéricas. Isso fornece à equipe de atendimento informações contínuas sobre o sistema cardiovascular do paciente o que facilita seu uso para diagnóstico e tratamento.

O monitor multiparamétrico, é o mais encontrado em hospitais nos centros de tratamento intensivo. Como o próprio nome já diz, esse dispositivo fornece a medida de diversos parâmetros do paciente como: eletrocardiograma, oximetria, frequência respiratória e temperatura. Esses monitores podem ser usados ​​para medição e acompanhamento das pressões arterial, venosa central, pulmonar, atrial esquerda, átrio direito, arterial femoral, venosa umbilical, arterial umbilical e intracraniana.

Escolhendo um monitor de pressão

Qualquer que seja o monitor de pressão arterial que você escolher, é vital que você certifique-se de que ele seja classificado como “clinicamente validado” pela Sociedade Brasileira de Hipertensão. Essa é uma garantia de que o equipamento foi exaustivamente testado e de que você pode confiar na precisão de suas leituras.

Siga algumas dicas que separamos para você:

  • ajuste da braçadeira: tenha a certeza de que o monitor de pressão arterial escolhido, tenha uma braçadeira adequada aos tipos de circunferência do braço ou do pulso. Utilizar uma braçadeira muito frouxa ou muito apertada pode resultar em leituras imprecisas;
  • funções adicionais: a muitos recursos extras nos monitores de pressão e alguns devem ser considerados (braçadeiras de vários tamanhos; conexão com computadores; indicador de categoria de risco; dentre outros);
  • acilidade de uso: o monitor deve apresentar uma iluminação adequada para que possa ser lido em ambientes escuros. Os botões do equipamento devem ser intuitivos e grandes para facilitar o acesso.

Sobre a DIMAVE Equipamentos Médicos 

DIMAVE Equipamentos Médicos, há mais de 20 anos, oferece a melhor solução do mercado em fornecimento de acessórios para pressão invasiva e não invasiva. Entregamos aos clientes equipamentos da mais alta tecnologia.

Nossa empresa atua na distribuição dos Cardioversores/Desfibradores e DEA LIFEPAK®, da Physio-Control Inc., uma empresa que é líder no mercado mundial para o fornecimento de soluções de resposta a emergências médicas.

A DIMAVE busca o contínuo aperfeiçoamento, visando sempre a qualidade, alta performance, confiabilidade e satisfação de nossos clientes.

Esperamos que as informações tenham ajudado a entender como escolher os melhores acessórios para pressão invasiva e não invasiva, assim como seu funcionamento e suas características.

Agora que você sabe melhor sobre a importância de escolher um equipamento de qualidade, que tal entrar em contato com a gente e saber mais sobre nossos monitores de pressão!

Você também pode gostar

Deixe um comentário