Aparelho médico barato: entenda por que não é uma economia

Aparelho médico barato entenda por que não é uma economia
6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Na hora de comprar equipamentos, é comum se deparar com ofertas de aparelho médico barato. A princípio, essa é uma alternativa atraente pela necessidade de mobilizar um volume menor de capital. O problema? O que parece economia, na verdade, é o caminho para outros gastos e diversas perdas.

Em vez de encararmos a dor de cabeça que esse tipo de decisão oferece, devemos pensar no melhor meio de agir. Com um bom aproveitamento dos recursos e atendimento às necessidades, é possível garantir um nível maior de qualidade.

Pensando nisso, mostramos por que comprar aparelho médico barato não é uma economia e como fugir dessa situação. Confira!

O impacto da qualidade dos equipamentos em outros custos

Economizar na compra dos componentes pode parecer uma boa ideia devido aos custos mais baixos. No entanto, não é uma alternativa tão interessante quando consideramos os outros gastos que são decorrentes dessa escolha.

É exatamente para isso que é preciso olhar, já que esses valores podem até não fazer parte do preço, mas impactam toda a gestão de compras. Para entender melhor, mostramos quais são os custos gerados por essa decisão.

Manutenção

Um equipamento médico barato tem componentes menos eficientes e, no geral, entrega um desempenho menor ao longo do tempo. Por isso, é muito comum ter que fazer manutenções frequentes, especialmente as que são voltadas para a correção.

Isso leva a uma necessidade contínua de conserto ou troca de peças para manter o bom funcionamento. Ao longo do tempo, portanto, a aquisição se mostra mais cara que o previsto.

Substituição

Depois das múltiplas manutenções, chega um momento em que é preciso realizar a substituição completa dos equipamentos. Ou seja: será necessário fazer um novo pedido — e, muitas vezes, antes do tempo.

O grande problema é que isso gera gastos que são, inclusive, imprevistos. Além disso, a duração é menor do que se estivéssemos falando de um item médico de alta qualidade.

Perda de oportunidades

Além de tudo, um equipamento barato nem sempre funciona como deveria e nem entrega os melhores resultados. Isso afeta diversas áreas da clínica, desde a produtividade de atuação até a satisfação dos pacientes.

Como consequência, mesmo um aparelho médico barato em pleno funcionamento leva à perda de oportunidades. Isso faz com que a gestão seja prejudicada, inclusive em termos financeiros.

Os prejuízos do aparelho médico barato nas atividades diárias

Além de tudo, o uso de um equipamento de baixa qualidade interfere em outras questões do dia a dia da clínica, do hospital ou do consultório. Como não é capaz de entregar as melhores características de funcionamento, deixa de gerar boas alternativas de atuação.

Para entender por que essa não é a saída ideal, veja quais são as desvantagens operacionais causadas por um item barato.

Afeta a precisão de leitura

É crucial notar que um aparelho médico barato nem sempre entrega o nível adequado de precisão. Mesmo um oxímetro ou um aparelho de pressão, que são simples, podem não apresentar leituras compatíveis com a realidade.

Isso tem impactos negativos no diagnóstico, já que, muitas vezes, os resultados são usados como base para identificar quadros. Então, há um prejuízo na atuação, o que leva à necessidade de repetir etapas.

Powered by Rock Convert

Diminui a disponibilidade para o uso

Já que um equipamento barato exige mais manutenção, é comum que ele fique parado por mais tempo. Entre a perda de desempenho e o conserto, ele precisa ficar parado por certo período.

A soma de todas essas interrupções faz com que a disponibilidade de uso do aparelho médico barato seja muito menor. Trata-se de uma situação prejudicial para o cotidiano, já que aumenta o tempo de espera, impacta a produtividade e até reduz o dinamismo de atendimento.

A importância de priorizar o custo-benefício

Ao mesmo tempo, vale pensar que comprar o equipamento mais caro não é a melhor saída. Afinal, ainda é necessário considerar algumas questões, como a lucratividade e o bom aproveitamento dos recursos financeiros da instituição.

Para contornar o problema, o ideal é adotar o custo-benefício como critério. Em vez de escolher um aparelho médico barato, pense na tecnologia e nos resultados que ele oferece. Também recomendamos considerar determinadas questões, como a durabilidade e a qualidade entregue na atuação.

Ao fazer isso, é possível aproveitar alguns benefícios importantes para a gestão. Veja quais são!

Investimento com retorno ao longo do tempo

Adquirir um aparelho que tenha bom custo-benefício não é um gasto e, sim, um investimento. Afinal, ele será capaz de entregar resultados melhores e por um período estendido.

Ao colocar na ponta do lápis, você terá a chance de conquistar um retorno de investimento maior. Afinal, é possível obter mais ganhos com o mesmo gasto — e isso tem um impacto muito positivo na atuação de compras para o setor de saúde.

Vida útil estendida

Além disso, um aparelho médico de alta qualidade dura mais tempo e consegue manter a consistência por um período maior. Trata-se, portanto, de uma solução para ter vida útil estendida no componente.

Quanto maior for a duração, maior é a “diluição” do investimento inicial. Ao fazer uma comparação relativa, um equipamento que custa o dobro, mas que dura quatro vezes mais, é muito mais em conta que a versão barata.

Maior segurança para profissionais e pacientes

A escolha pelo custo-benefício oferece ganhos, ainda, em termos de segurança de atuação. O aparelho médico barato gera dúvidas sobre o desempenho e não é totalmente confiável, já que tem disponibilidade menor.

Já uma compra adequada dribla essa dificuldade e apresenta resultados seguros e por mais tempo. Desse modo, tanto os profissionais dos setores quanto os pacientes são favorecidos por essa escolha.

A seleção adequada do fornecedor do item

Para fugir da armadilha que é comprar um aparelho médico barato, é fundamental selecionar um fornecedor de qualidade. Mais que olhar o preço, nossa dica é ficar de olho na autoridade e na experiência no mercado.

Também é interessante priorizar um fornecedor que seja conhecido por trazer produtos adequados, de última geração e com as melhores características. Assim, a tomada de decisão se torna muito mais segura.

Em vez de recorrer ao aparelho médico barato, foque o custo-benefício e a entrega real de resultados. Como a escolha do fornecedor é tão importante, saiba que você pode contar com a DIMAVE e seus equipamentos e acessórios médicos de alta qualidade.

Entre em contato conosco e descubra como fazer aquisições adequadas e com as melhores características!

Você também pode gostar

Deixe um comentário