Calibração de equipamentos médico-hospitalares: entenda sua importância!

Calibração de equipamentos médico-hospitalares entenda sua impo
6 minutos para ler

A tecnologia propiciou grandes avanços na área da saúde, otimizando os processos e garantindo diagnósticos e tratamentos mais eficazes. No entanto, para que esses bons resultados sejam obtidos, é indispensável que o aparelho apresente um funcionamento adequado, certo?

Nesse contexto, é fundamental ter cuidados periódicos, principalmente em relação à calibração dos equipamentos médico-hospitalares. Desse modo, é possível assegurar sua performance, além da segurança dos pacientes e técnicos de saúde.

Neste post, vamos explicar em que consiste a calibração de equipamentos, qual a diferença para o ajuste, a periodicidade em que deve ser feita e quais equipamentos médicos devem passar por esse teste. Confira!

O que é calibração de equipamentos médico-hospitalares?

Em linhas gerais, a calibração é a garantia de qualidade do equipamento, por isso, há a necessidade de realizar esse processo, principalmente quando se trata de uma instituição de saúde, como clínicas e hospitais. Com esse método, é possível saber se o aparelho está entregando os resultados corretos — de acordo com os padrões técnicos do fabricante e com as normas específicas.

E, no dia a dia de trabalho, a falta da calibração não impedirá que se use determinado equipamento. Isso porque ele não estará quebrado, porém, pode trazer riscos a pacientes e às pessoas que o manuseiam ou alterar a precisão de um exame, comprometendo, assim, a eficácia de um diagnóstico.

No caso, por exemplo, de monitores desfibriladores, o fabricante informa que existe uma intensidade de choque que o aparelho deve emitir — que pode variar de 350 a 362. Então, o técnico faz o teste para ver se o equipamento funciona de acordo com esse padrão e, assim, se está entregando o resultado segundo as especificações do fabricante.

Normas do INMETRO

Quando um equipamento médico é produzido, ele não pode ser comercializado imediatamente. Isso porque o produto só está autorizado para uso depois de receber o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Contudo, para obter esse registro, deve passar por uma série de testes em laboratórios acreditados de acordo com as normas do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Somente depois da aprovação nesses testes é que a Anvisa libera o registro do equipamento. Então, durante a vida útil do aparelho, é recomendado fazer a calibração a fim de garantir seu correto funcionamento. Esse processo é realizado de acordo com as normas definidas pelos laboratórios responsáveis pelos testes iniciais.

Como é feita essa checagem?

A calibração de equipamentos é feita em laboratório por empresas especializadas, que precisam ter uma máquina também calibrada. Inclusive, no relatório com as informações desse serviço, devem ser informados os detalhes da máquina que foi utilizada para fazer os testes nos aparelhos médicos.

Nessa avaliação, são medidos os padrões do equipamento médico para verificar sua exatidão e, desse modo, garantir sua qualidade e sua precisão. Em outras palavras, há o objetivo de comparar as leituras obtidas no teste com os valores de referência.

Para que o gestor hospitalar ou da clínica não tenha dor de cabeça, a recomendação é apenas contratar esse tipo de serviço em empresas autorizadas.

Qual a diferença entre calibração e ajuste?

É muito comum haver confusão entre os termos calibração e ajuste. O primeiro fará medições para avaliar se o equipamento está funcionando de modo adequado segundo as especificações do fabricante.

Já o segundo fará alguma intervenção — no software ou no hardware — para corrigir alguma funcionalidade a fim de que o produto não tenha problemas em seu desempenho. Dessa maneira, é preciso deixar claro que o ajuste só será feito depois do processo de calibração, sendo necessário, após, a recalibração do equipamento.

Qual a periodicidade indicada para fazer essa calibração?

Os gestores de clínicas e hospitais precisam fazer um gerenciamento em relação à manutenção dos aparelhos médicos. Com isso, garantem uma maior vida útil às máquinas e não correm o risco de serem surpreendidos com falhas e contratempos.

A periodicidade para realizar a calibração dependerá do tipo de equipamento. Isso é definido pelo próprio fabricante. Caso não haja essa informação no produto, a definição deve ser feita pela própria instituição que adquiriu o equipamento de acordo com o manual de qualidade dos serviços prestados.

Para que você entenda melhor: Uma empresa, por exemplo, fabrica um equipamento e, em seu manual, consta que ele deve ser calibrado anualmente. Entretanto, a empresa que adquire o produto pode definir que a calibração de todos os seus equipamentos seja realizada a cada 6 meses. O importante é não estabelecer um intervalo maior do que o recomendado pelo fabricante para evitar problemas de funcionamento.

Em quais equipamentos de um hospital essa avaliação é necessária?

Saiba que, para a segurança dos procedimentos realizados nas instituições de saúde, todos os equipamentos médicos, sem exceção, devem ser calibrados, pelo menos, uma vez por ano. Em hospitais, caso essa norma não seja seguida, ele pode ser reprovado em alguma auditoria, por exemplo.

Além disso, qualquer aparelho descalibrado pode atrapalhar a rotina da instituição, o trabalho de médicos e de outros profissionais e também prejudicar pacientes. Assim, a reputação do local também pode ficar comprometida, caso os gestores não tenham a preocupação de fazer essa avaliação periodicamente.

Quais serviços a DIMAVE oferece em relação a esses procedimentos?

A DIMAVE é uma distribuidora autorizada, por isso, a empresa faz os procedimentos indicados pelo fabricante para garantir o bom desempenho e a segurança dos produtos, realizando, desse modo, um teste de performance para verificar se tudo está dentro do que é especificado pelo fabricante.

Por exemplo, se um hospital precisa fazer um teste anual nos equipamentos dos quais a DIMAVE é distribuidora, como os desfibriladores, ele envia o aparelho para a empresa e o serviço é realizado de forma ágil.

Agora, você já sabe em que consiste a calibração de equipamentos médicos e por que esse processo não pode ser negligenciado. É importante que os hospitais e clínicas tenham a garantia de que os aparelhos apresentam o desempenho de acordo com os padrões de fábrica.

Gostou do nosso post? Quer receber outras informações a respeito do processo de calibração desse tipo de máquina? Então, entre em contato com a DIMAVE — empresa especializada na comercialização de acessórios médicos — e tire todas as suas dúvidas!

Você também pode gostar

Deixe um comentário