Como escolher um eletrocardiograma? Descubra aqui!

Como escolher um eletrocardiograma Descubra aqui!
9 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Um laudo claro e preciso é indispensável para qualquer diagnóstico. Quando se fala em doenças associadas ao coração, um aparelho eletrocardiograma de qualidade é fundamental. Você sabe como escolher o melhor aparelho para a sua instituição?

Para um exame de ECG ser válido, é importante que as atividades elétricas do coração sejam devidamente monitoradas. Do contrário, o profissional de saúde não terá condições de guiar o tratamento e os procedimentos que vão até mesmo salvar a vida do paciente. Dessa forma, é importante que o equipamento seja o melhor do mercado.

Se você ainda não sabe direito como escolher o aparelho, aproveite para entender melhor a seguir. Boa leitura!

Qual a importância do eletrocardiograma?

O aparelho eletrocardiograma, também chamado de eletrocardiógrafo, oferece funcionalidades e tecnologias que auxiliam a detectar doenças relacionadas ao sistema cardiovascular. Para isso, o aparelho conta com cabos que são ligados ao corpo de forma não invasiva. O objetivo é que esses cabos detectem a tração das batidas do coração de maneira fidedigna.

Por ser um exame com precisão, que disponibiliza um laudo detalhado das atividades elétricas no coração, o ECG colabora para a prevenção e o tratamento de problemas mais sérios. Logo, a escolha de um aparelho que reúna tudo o que é necessário para um diagnóstico eficiente é essencial para entregar os resultados ao paciente.

Na DIMAVE, por exemplo, os cabos para ECG são devidamente registrados na ANVISA. Dessa forma, há mais certeza de que os resultados apresentados pelo equipamento são os mais fiéis possíveis. Do contrário, o risco é de um diagnóstico incerto.

Portanto, a importância do aparelho eletrocardiograma está diretamente relacionada à sua qualidade. Quando se trata de um aparelho de boa procedência, os laudos servem como guia para prevenções e tratamentos que envolvem o coração.

Como funciona um aparelho eletrocardiograma?

Considere que o aparelho eletrocardiograma indica seis tipos de onda baseada nos impulsos elétricos feitos pelo coração. Chamadas de P, Q, R, S, T e U, cada uma é responsável por demonstrar cada etapa do processo de batimento.

É por meio dessas ondas que o especialista consegue detectar com maior precisão o ritmo dos batimentos cardíacos. O monitoramento é feito utilizando eletrodos, que são fixados na pele do paciente e reproduzem as atividades elétricas em gráficos.

Ao decidir qual é melhor tipo de equipamento para ECG, é essencial buscar aparelhos que consigam demonstrar cada uma dessas etapas com clareza. Se o eletrodo não conseguir captar algum detalhe dessas ondas, o risco é de que o diagnóstico acabe comprometido.

Quais os principais tipos de aparelho eletrocardiograma?

No mercado de equipamentos médicos, é possível encontrar diferentes modelos de aparelhos para eletrocardiograma. Cada um tem um diferencial, com variação também de tamanhos. Além disso, eles contam com diferentes derivações, que é a quantidade de linhas posicionadas para captar as atividades elétricas do coração.

Dentro dessas opções, podemos encontrar equipamentos com 12 derivações, 5 derivações ou 3 derivações, sendo que cada um deles é aplicado para determinados tipos de situação. Logo, cabe ao profissional optar por aquela alternativa que oferece as funcionalidades que se encaixam à necessidade no momento.

Para entender melhor o que sua clínica precisa, veja quais são os tipos desse aparelho e suas particularidades a seguir!

12 derivações

O equipamento que conta com 12 derivações é bastante utilizado para diagnosticar doenças como ataques cardíacos e sopro. De forma simultânea, ele registra 12 sinais elétricos do coração e é ideal para que o especialista compreenda os sintomas, tais como:

Além disso, também é possível visualizar a versão impressa dos traçados. Dessa forma, é indicado para hospitais, clínicas e demais instituições com uma alta demanda de pacientes.

5 derivações

Nesse aparelho são usados 5 eletrodos. Geralmente, é utilizado em cirurgias ou situações que envolvem o deslocamento da vítima até o hospital. Por exemplo, se a equipe médica quer acompanhar como estão as atividades cardíacas de um paciente atendido em ambiente externo, esse é um equipamento recomendado. Desde 2010, as ambulâncias do SAMU, inclusive, contam com equipamentos que emitem o resultado à distância. Enquanto o paciente é transportado, os sinais são enviados remotamente para o hospital.

3 derivações

Também é utilizado para realizar o monitoramento cardíaco e para os procedimentos os médicos usam 4 eletrodos posicionados no corpo do paciente. Em alguns casos, o cardiologista opta por usar esse recurso com o auxílio de outros aparelhos e exames para verificar se há sinal de anormalidades no ritmo do coração. É considerado principalmente um adicional.

Quais são as opções existentes no mercado?

Além da quantidade de derivações, há muito mais a se considerar na escolha de aparelhos eletrocardiogramas. Os modelos evoluíram bastante, sendo possível encontrar equipamentos com mais facilidades. Confira os principais disponíveis no mercado!

Digital

O aparelho eletrocardiograma digital permite o arquivamento de dados e informações no próprio dispositivo utilizado durante o exame. Dessa forma, é possível, por exemplo, armazenar o laudo em um notebook ou computador, facilitando a transmissão de dados. É uma tecnologia bastante prática, além de contribuir para a otimização dos procedimentos realizados.

Relacionado ao avanço da telemedicina, esse modelo reduz a quantidade de papéis e ajuda a melhorar a precisão e qualidade dos exames. São equipamentos seguros, sendo que alguns deles podem ser usados fora do ambiente clínico ou hospitalar, como mencionado no caso das unidades de atendimento SAMU.

Powered by Rock Convert

Portátil

Entre os digitais, há também aqueles que são portáteis, ideais para os cardiologistas que precisam se locomover com frequência e fazer atendimentos em ambientes externos.

Logo, esses equipamentos são pequenos e com fácil utilização, sendo prático e eficiente ao mesmo tempo. Seu uso costuma ser bastante intuitivo. O objetivo é que nenhum erro seja cometido, mesmo em condições externas.

Com um notebook, é possível conectar o aparelho, realizar os exames e visualizar os resultados tudo de maneira digital. É comum em clínicas de menor porte, pela facilidade em transitar entre consultórios.

Com laudo

É uma tecnologia importante para hospitais ou clínicas que não contam com a presença de um médico especialista para assinar o resultado. Em alguns casos, há um grande número de pacientes e, para acelerar os processos e atendimentos, são os enfermeiros que executam o aparelho eletrocardiograma.

No entanto, o exame é enviado diretamente para uma central, com cardiologistas disponíveis para analisar e, por fim, assinar o laudo.

Esse tipo de equipamento tem transmissão de dados, já que em pouco tempo a central recebe as informações sobre o paciente e, a partir da situação encontrada, efetua o laudo. É a tendência para a saúde 4.0, que propõe a otimização de recursos e tempo.

Com assinatura digital

Nessa modalidade, o exame é enviado para uma central de telemedicina, com cardiologistas que concluem o diagnóstico oferecido pelo aparelho eletrocardiograma. Então, é feito um lado com a assinatura digital, ou seja, sem papéis, o que torna todos os procedimentos mais seguros, com menor risco de fraudes.

Mais uma vez, a expectativa é de que se torne mais popular, pois otimiza recursos e garante agilidade.

O que considerar ao escolher um aparelho eletrocardiograma?

Ao adquirir um aparelho eletrocardiograma é preciso ficar atento a alguns detalhes que fazem toda a diferença na eficiência dos resultados e na qualidade da entrega realizada aos pacientes.

Veja alguns pontos relevantes e que, quando considerados, garantem uma escolha mais adequada, com um equipamento que atende suas necessidades!

Portabilidade

A portabilidade do aparelho é um aspecto importante, pois melhora a locomoção desse item de trabalho e é útil para otimizar os processos e a realização dos exames. Se trata de um recurso que contribui para os procedimentos, especialmente se você precisa se deslocar.

Um profissional que tem muitos pacientes para serem atendidos num dia, pode fazer o eletrocardiograma de maneira simples e rápida, apenas usando o aparelho e um notebook. Com esses dois itens, ele já consegue ter acesso a todas as informações de que precisa, facilitando o diagnóstico.

Tipos de cabo

Um outro fator que deve ser analisado ao comprar esse tipo de equipamento é o tipo de cabo. Para isso, é preciso entender quais são as opções mais indicadas para a sua situação.

Em clínicas, geralmente os cabos escolhidos são aqueles que têm dez vias e permitem um número maior de derivações de forma simultânea, o que torna a rotina mais eficiente.

Já para médicos cardiologistas que utilizam o equipamento para atendimentos externos, a opção mais frequente é a que conta com apenas cinco vias. Qualquer que seja a situação, reforce os cuidados com os acessórios. Os cabos vendidos pela DIMAVE passam por um rígido controle de qualidade.

Portanto, avalie qual é a aquisição mais vantajosa de acordo com a sua necessidade, certificando-se de que o exame poderá ser realizado com qualidade e precisão. Uma cabo de má procedência pode comprometer todo o trabalho.

Software utilizado

O software escolhido tem um papel fundamental no resultado do eletrocardiograma, já que isso colabora para ter laudos mais rápidos e seguros. Além disso, a eficiência e durabilidade do equipamento tornam-se maiores, pois é possível ter um diagnóstico com praticidade e qualidade. Atualmente, o ideal é buscar aqueles que salvem os dados na nuvem ou, pelo menos, ofereçam opções de praticidade como essa.

Em resumo, a escolha do aparelho eletrocardiograma é indispensável para garantir a prevenção e o tratamento de problemas relacionados ao coração. Antes de adquirir o melhor equipamento, é preciso analisar modelos e determinar o mais qualificado para o tipo de atendimento que sua instituição vai oferecer.

O que você achou deste artigo? Entendeu melhor? Ainda tem dúvidas? Então, aproveite para entrar em contato com a DIMAVE! Temos uma equipe preparada para te ajudar na escolha do melhor eletrocardiógrafo!

Você também pode gostar

Deixe um comentário