Desfibrilador cardíaco: confira onde é obrigatório tê-lo

Desfibrilador cardíaco confira onde é obrigatório tê-lo
6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

O desfibrilador cardíaco é um equipamento que pode salvar vidas, mesmo que a pessoa esteja fora do ambiente hospitalar. Dessa maneira, é muito útil em situações emergenciais, em que alguém sofra uma parada cardiorrespiratória.

Aliás, a legislação exige que alguns locais tenham esse aparelho portátil, afinal as doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de mortes no Brasil e no mundo. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), em 2017, o número estimado de vítimas desse tipo de doença foi de 383.961.

Nesse contexto, o uso do desfibrilador cardíaco tem a função de prestar um atendimento mais rápido ao indivíduo de modo a contribuir para a redução dessas estatísticas. Neste post vamos explicar a diferença entre desfibrilador interno e externo, os locais em que seu uso é obrigatório, como escolher o equipamento e os diferenciais da Dimave nesse ramo!

O que é desfibrilação?

A desfibrilação é o disparo de uma carga elétrica sobre o coração de uma pessoa que está em situação de arritmia cardíaca ou parada cardiorrespiratória. É a fibrilação auricular: em alguns casos ela não apresenta sinais, mas em outros pode ser a etapa inicial de um infarto ou acidente vascular cerebral (AVC).

Para fazer esse procedimento, é indicado o uso do desfibrilador cardíaco, um equipamento portátil que deve ser utilizado quando o indivíduo não tem pulso ou está sofrendo com arritmias graves. Com as descargas elétricas, o aparelho pode fazer a reversão da parada cardíaca, salvar vidas ou evitar perdas nas funções do coração e do cérebro.

Qual a diferença entre desfibrilador interno e externo?

Existem alguns tipos de desfibriladores. Confira!

Desfibrilador cardíaco externo manual

O desfibrilador cardíaco externo manual é o mais comum, utilizado em casos de primeiros socorros em hospitais, clínicas e outros estabelecimentos de saúde.

É um aparelho que precisa ser manuseado por um profissional treinado, como um médico, pois ele sabe qual intensidade do choque utilizar de acordo com o peso e altura do paciente. Ele também tem conhecimento para avaliar qual a quantidade de choques necessárias para cada situação.

Desfibrilador cardíaco externo automático (DEA)

Há ainda o desfibrilador externo automático (DEA), que pode ser operado por um técnico leigo, visto que o equipamento consegue analisar, de forma automática, o ritmo cardíaco do paciente. É esse modelo o exigido em alguns locais pela lei. Quando utilizado de maneira ágil, o DEA pode evitar as mortes súbitas decorrentes de doenças do coração.

Desfibrilador interno

Há ainda o desfibrilador interno, um equipamento que fica acoplado ao marcapasso implantado. Como próprio nome indica, ele fica instalado internamente no paciente e aplica o choque quando há necessidade, de forma automática.

Há também a desfibrilação interna, no caso do paciente que está fazendo uma cirurgia com o peito aberto. Nessa situação, se há a necessidade de uma arritmia passiva de choque, o médico vai fazer a desfibrilação diretamente no coração do paciente.

Em quais locais é obrigatório ter um desfibrilador cardíaco?

O projeto de lei federal 4050/04, aprovado em 2015, exige que locais cuja circulação diária seja igual ou superior a 4 mil pessoas tenham um desfibrilador cardíaco externo. Assim, torna-se obrigatório em locais com aglomerações, como:

Powered by Rock Convert
  • estádios de futebol;
  • centros comerciais;
  • estações rodoviárias;
  • aeroportos;
  • portos;
  • academias de ginástica;
  • templos.

A legislação inclui a obrigatoriedade do equipamento para metrôs, aeronaves e embarcações com capacidade igual ou superior a 100 passageiros. As ambulâncias e viaturas de resgate também devem ter o desfibrilador.

A medida torna obrigatória ainda, em todos os locais, a presença de uma pessoa treinada para manusear o aparelho. O projeto de lei determina que os custos com o equipamento em estabelecimentos privados fica a cargo da própria empresa. Em ambientes ou transportes públicos, a responsabilidade é dos governos.

Ao escolher um desfibrilador, quais características devem ser observadas?

Como você viu, o desfibrilador cardíaco é um equipamento importante e até mesmo obrigatório em alguns ambientes. Então, quais critérios observar na hora de adquirir esse aparelho?

É necessário escolher um fabricante de tradição e referência nesse setor, visto que existem no mercado diferentes tipos de desfibriladores. A Dimave, por exemplo, que trabalha nesse ramo, conta com equipamentos do maior fabricante de desfibriladores do mundo, a Physio Control, com a vantagem de apresentar o valor de um equipamento nacional.

Então, o primeiro passo é verificar o histórico desse fabricante, a assistência do equipamento, o prazo de garantia e a credibilidade e suporte do fornecedor. Outra dica é buscar referências de quem utiliza o aparelho para saber de sua qualidade.

Por fim, observe não só o valor e características do equipamento em si, mas também os valores dos acessórios necessários para seu funcionamento.

Qual é o tempo médio de vida útil desse equipamento? A manutenção é prática?

É difícil definir um tempo de vida médio do desfibrilador cardíaco, pois isso vai depender da forma como o equipamento é utilizado. A Dimave já comercializou aparelhos da Physio Control, que estão há mais de 10 anos em uso pelo SAMU, ou seja, que têm uma demanda alta e praticamente diária.

Mas nesse ponto é importante prezar pela qualidade e credibilidade do fornecedor, pois existem no mercado equipamentos que não completam nem um ano de uso.

A manutenção desse tipo de equipamento é simples, já que é basicamente a preventiva, com a realização de um checklist anual, a fim de atestar o seu funcionamento. Trata-se de um equipamento que raramente necessita de manutenção a ponto de ficar inoperante.

Quais os diferenciais da Dimave nesse ramo?

A Dimave é um distribuidor nacional da linha de desfibriladores de uma marca pioneira mundial nesse equipamento, a Physio Control. Isso porque a preocupação da empresa é sempre oferecer a seus clientes equipamentos de primeira linha. Assim, trabalha com marcas renomadas, afinal, em saúde não dá para abrir mão da qualidade, principalmente com situações de emergência.

O desfibrilador cardíaco é um equipamento essencial para reverter casos de parada cardiorrespiratória. Por conta da sua eficiência e agilidade, tornou-se obrigatório em ambientes com grande circulação de pessoas.

Agora que você já sabe da importância desse equipamento, conheça os desfibriladores cardíacos distribuídos pela Dimave!

Você também pode gostar

Deixe um comentário