5 EPIs hospitalares essenciais para a segurança do paciente e médico

5 EPIs hospitalares essenciais para a segurança do paciente e médico
4 minutos para ler

No contexto de pandemia, a área de saúde encontra alguns desafios para manter a segurança de pacientes e médicos. Os profissionais estão na linha de frente no combate ao COVID-19 e precisam optar por medidas de proteção eficazes e mais rígidas do que estavam habituados.

Por isso, um dos pontos essenciais é reconhecer e entender a importância dos EPIs hospitalares. Neste artigo, falaremos sobre o conceito, importância e alguns dos principais EPIs. Continue a leitura e garanta maior segurança para médicos e pacientes.

O que são EPIs?

EPIs significa Equipamentos de Proteção Individual, ferramentas que devem ser utilizadas por profissionais da saúde com a finalidade de prevenir infecções causadas por agentes contaminantes, como vírus, bactérias e outros microrganismos, para a realização de procedimentos com segurança.

O uso de EPIs hospitalares está previsto na Norma Regulamentadora (NR) 32, que aborda as medidas indispensáveis para combater doenças ocupacionais e busca assegurar condições adequadas aos profissionais.

Para que servem os EPIs hospitalares?

Hospitais e clínicas são ambientes que demandam atenção especial com a limpeza e o uso de equipamentos de proteção individual, que são obrigatórios para impedir que os pacientes e profissionais fiquem expostos a contaminações durante procedimentos de risco, como atendimentos de consulta, exames, coletas de materiais biológicos e procedimentos cirúrgicos.

Sempre que a atividade exigir cuidado de contaminação, os EPIs hospitalares são necessários. Os equipamentos precisam ser utilizados de forma correta e manipulados de acordo com as técnicas e orientações do fabricante. Além disso, é preciso sempre observar a validade e descartar de forma correta.

5 EPIs hospitalares essenciais para a segurança do paciente e médico

O uso dos EPIs hospitalares auxilia na diminuição de riscos de contaminação decorrentes de manipulação de produtos e contato com pacientes enfermos e fluidos corporais. Listamos 5 equipamentos de proteção individual hospitalares para manter o ambiente o mais livre possível de contaminações. Confira!

1. Máscara

Empregada em diversos procedimentos, a máscara cirúrgica é um EPI hospitalar que combate acidentes de risco biológico. Além disso, evita a transmissão de doenças por meio de fluidos durante o contato dos profissionais de saúde com o paciente.

2. Luva

É um dos equipamentos de proteção hospitalar mais utilizados, já que é essencial para a maioria dos procedimentos por proteger as mãos, um dos principais meios de contaminação. As luvas são descartáveis, podem ser estéreis ou não e podem ser confeccionadas por diferentes materiais.

3. Óculos de proteção

São utilizados quando há riscos de secreções entrarem em contato com o profissional. Também protegem os olhos de componentes químicos.

4. Protetor facial acrílico

É feito de material acrílico para que seja possível a visão total durante o procedimento. Ele protege todo o rosto e precisa ser adaptado à estrutura da face do profissional. Deve ser utilizado no contato com o paciente, em laboratórios e na limpeza de instrumentos.

5. Avental

É bastante usado nas rotinas cirúrgicas e é de uso único. Pode ser feito de algodão e revestido por material impermeável. Funciona como uma barreira contra substâncias e secreções contaminantes, protegendo a pele e a roupa de quem usa.

Os EPIs hospitalares garantem segurança no contato entre pacientes e profissionais de saúde. Não usá-los é colocar em risco a saúde de todos os envolvidos. É preciso prezar pela conscientização de toda a equipe para a importância e forma correta de usar os EPIs.

Quer saber mais sobre estratégias de segurança para a saúde? Descubra agora o que é biossegurança e quais práticas adotar!

Você também pode gostar

Deixe um comentário