Descubra o que é medicina integrativa e o que aprender com ela

Descubra o que é medicina integrativa e o que aprender com ela
7 minutos para ler

A área médica é composta por diferentes abordagens que visam trazer melhores resultados para a saúde e o bem-estar dos pacientes. Entre elas, a medicina integrativa é uma vertente que tem conquistado cada vez mais espaço no ambiente clínico. Ela propõe uma avaliação completa das pessoas, a partir do entendimento de diversos aspectos que influenciam no equilíbrio físico e emocional.

Essa prática, ou conjunto de práticas, pressupõe que o cuidado considere uma análise detalhada de cada paciente. Por isso mesmo, tem muito a ensinar a médicos, gestores e demais profissionais da saúde.

No entanto, a área ainda não é muito conhecida por diversos profissionais, ainda que venha conquistando um maior número de espaços clínicos nos últimos anos. Assim, neste artigo explicamos melhor a medicina integrativa, suas vantagens e como ela pode ser adotada no dia a dia de clínicas e hospitais. Saiba mais!

O que é medicina integrativa?

A medicina integrativa é uma modalidade que considera diferentes aspectos clínicos, emocionais e medicamentosos que podem afetar a eficácia e a segurança de um tratamento. Para tanto, avalia todas as condições para o diagnóstico, buscando sempre a melhor abordagem para a recuperação e a manutenção da saúde do paciente.

O conceito surgiu nos Estados Unidos há algumas décadas, conquistando cada vez mais espaço em todo o mundo. O objetivo é aliar diversos métodos tradicionais e não convencionais no tratamento, sendo que as terapias alternativas estão se tornando ainda mais recorrentes.

Por sinal, muitas das metodologias já são reconhecidas pelas entidades médicas, podendo ser realizadas pelo próprio Sistema Único de Saúde (SUS). A tendência é que continuem crescendo nos próximos anos, principalmente pelo aumento dos cuidados focados na prevenção.

Princípios da Medicina Integrativa

Alguns princípios básicos norteiam a atuação profissional dentro da medicina integrativa. Os principais são:

  • Participação do paciente nas decisões, com uma estratégia individualizada;
  • Prevenção de doenças a partir de métodos testados cientificamente;
  • Maior integração entre paciente e profissionais de saúde;
  • Entendimento do caráter holístico da saúde, envolvendo fatores sociais, mentais, físicos e emocionais;
  • Adoção de terapias tradicionais junto com as alternativas;
  • Tratamento multidisciplinar, com diversos profissionais de saúde;
  • Orientação do paciente para continuidade das terapias fora do ambiente clínico, como no caso da nutrição;
  • Prioridade para métodos e produtos naturais;
  • Reconhecimento da necessidade de analisar a influência ambiente e do contexto social para a prevenção e cura de doenças;
  • Abertura para investigação e testagem de novas terapias.

Quais as principais vantagens da medicina integrativa?

A maior parte da medicina hoje ainda se baseia no modelo biomédico, que prioriza os aspectos biológicos na abordagem da doença. Já na medicina integrativa, são considerados outros aspectos individuais que podem interferir no tratamento. A seguir, confira as principais vantagens.

Reforço na relação médico e paciente

Esse é um dos pontos mais importantes, pois o paciente participa de todos os processos de diagnóstico e desenvolvimento das terapias. E essa interação é fundamental para que o profissional possa entender todos os aspectos que podem afetar a saúde do paciente e de modo individualizado. Assim, se constrói uma relação duradoura e efetiva para a promoção de uma saúde integral.

Prevenção de doenças

A doença não deve ser o foco da medicina integrativa. Pelo contrário, ela se preocupa bem mais com a prevenção e a manutenção da saúde. Dessa forma, a cura acontece de maneira mais natural e com menos efeitos colaterais para os pacientes, que lidam melhor os problemas de saúde no dia a dia.

Maior qualidade de vida para os pacientes

O resultado de tudo que falamos até agora é que a medicina integrativa permite que o paciente tenha mais qualidade de vida e bem-estar de modo geral. Afinal de contas, trata-se de uma abordagem completa e continuada, em que são trabalhados diferentes aspectos relativos à saúde.

Como aplicar a medicina integrativa no dia a dia?

O primeiro passo para adotar a medicina integrativa na prática é o alinhamento entre diversos profissionais de saúde. É preciso integrar métodos convencionais e não convencionais para desenvolver terapias mais eficientes para cada paciente. Um bom exemplo disso, é como médicos, nutricionistas, educadores físicos e fisioterapeutas podem atuar juntos no tratamento e na prevenção da obesidade.

Por isso mesmo, é uma tendência que esses serviços sejam organizados em um ambiente compartilhado, com os profissionais atuando em conjunto. Esse modelo de clínica tem ganhado a preferência dos pacientes, justamente, por proporcionar uma abordagem mais completa da saúde.

De todo modo, quando não é possível compartilhar um espaço, é importante manter uma conexão na prática clínica por meio de parcerias, com a troca de informações e conhecimentos entre os profissionais. Essa integração ajuda a alcançar melhores resultados, fidelizar e atrair mais pacientes.

Além disso, é fundamental observar todos os princípios descritos anteriormente, que podem ser usados, de alguma maneira, mesmo nos métodos mais tradicionais. Mas algumas terapias já se destacam por serem símbolos da medicina integrativa. Abaixo, conheça as principais.

Aromaterapia

A aromaterapia utiliza óleos essenciais aromáticos para aproveitamento das propriedades dos princípios ativos presentes nessas fórmulas para inalação pelos pacientes. Pode ser adotada de maneira isolada ou em conjunto com outras terapias para o controle e o tratamento de inúmeros problemas.

Fitoterapia

Neste caso, as plantas são a base da fitoterapia, pois delas são extraídas as substâncias que têm ação curativa ou paliativa. Os produtos podem ser manipulados ou consumidos na forma de chás e outros suplementos. Devido aos seus efeitos, é necessário que haja uma prescrição de um médico ou farmacêutico.

Expressão corporal

São práticas relativas ao movimento do corpo para a promoção da saúde e o bem-estar físico e mental. Assim, a expressão corporal envolve a dança e outras manifestações que contribuem para o equilíbrio da mente, do corpo e do espírito dos praticantes.

Homeopatia

Consiste em uma prática milenar de uso de produtos naturais com princípios ativos diluídos. Dessa forma, a prevenção e o tratamento de problemas são alcançados gradualmente, quase que de maneira natural.

Acupuntura

Por fim, a acupuntura se baseia na medicina chinesa, que busca identificar pontos de equilíbrio no organismo que podem ser estimulados para a cura de um problema. Pode agregar diferentes técnicas, como o uso de agulhas, ventosas, entre outras.

Como podemos perceber, a medicina integrativa nos ensina a olhar para o paciente com mais proximidade, oferecendo um tratamento individualizado e completo. Também nos incentiva a buscar novas soluções para os problemas de saúde, a partir do entendimento de todas as suas causas, não apenas as físicas.

Gostou de saber mais sobre medicina integrativa? Quer conferir mais artigos como este? Então, curta nossa página no Facebook e acompanhe todas as novidades!

Você também pode gostar

Deixe um comentário