Entenda como fazer uma excelente gestão de suprimentos médicos

Entenda como fazer uma excelente gestão de suprimentos médicos
6 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Dentro de um ambiente hospitalar, os suprimentos médicos e a farmácia contam com um volume de capital menor apenas do que a folha de pagamento. Isso significa, portanto, que compõem um setor que demanda muita atenção.

O que acontece é que a rotina hospitalar é diretamente afetada pela qualidade e pela gestão de seu estoque. É no material de trabalho que está muito da confiabilidade do tratamento e dos profissionais.

Para ajudá-lo a entender melhor o que isso significa, reunimos as informações abaixo. Confira!

Descubra por que é importante manter uma boa gestão de suprimentos médicos

Seja um hospital, seja uma clínica médica, a estrutura não é feita apenas de sua equipe. É preciso fornecer o material adequado para o melhor atendimento possível e em um fluxo em que não ocorram faltas ou desperdícios de recursos. Do contrário, há risco tanto de prejuízo material quanto humano.

Quando se fala especialmente no setor de saúde, é essencial contar com uma estratégia de planejamento e controle de estoque. Para entender melhor, considere, por exemplo, a pandemia de coronavírus.

Conforme o risco de infecção foi aumentando no Brasil, a procura por máscaras descartáveis se transformou. Em questão de dias, certos estabelecimentos tiveram dificuldade em suprir sua demanda interna. E embora uma pandemia não seja fácil de prever, uma boa gestão é capaz de lidar melhor com esse tipo de situação de forma a evitar problemas.

Em situações menos excepcionais, a função do setor é o gerenciamento da movimentação de todos esses materiais. É importante evitar tanto o excesso quanto a falta de itens necessários. A estimativa da Fehosp – Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo é de que cerca de 15% a 25% das compras hospitalares sejam de urgência, enquanto 30% do estoque seja composto de excessos.

É por isso que o trabalho da gestão precisa passar por algumas medidas, como:

  • provisionamento de compras;
  • avaliação de indicativos de estoque abaixo do ideal;
  • obtenção de uma noção de materiais de maior consumo.

Tendo total controle dessas etapas, é mais fácil realizar a logística e a contabilidade dos suprimentos médicos e, muito importante, definir a estratégia ideal entre preço e qualidade.

Saiba como escolher fornecedores de suprimentos

O primeiro passo para uma boa gestão hospitalar é compreender que o mais barato nem sempre é a melhor opção. Há que se considerar outros critérios mais amplos. E um dos mais importantes está na escolha dos fornecedores.

Ao escolher uma empresa consolidada no mercado, é possível ter mais confiança nas compras. Dessa forma, será viável focar mais em estratégia e gerenciamento, com menos riscos de surpresas desagradáveis.

Veja quais medidas são essenciais nesse processo de contratação!

Solicite a documentação comprobatória da empresa

O fornecimento de aparelhos e suprimentos médicos exige empresas que tenham autorizações específicas. E isso significa que você precisa conhecer a fundo a situação legal da empresa. Do contrário, pode acabar adquirindo materiais de qualidade inferior ou sem autorização.

Na DIMAVE, por exemplo, todos os equipamentos têm a devida aprovação da ANVISA. Infelizmente, há casos em que produtos importados não passam pela mesma inspeção em outras empresas.

Por isso, fique atento sempre a documentações, como:

  • certidão de responsabilidade técnica;
  • licença de funcionamento pela Vigilância Sanitária;
  • autorização de funcionamento de empresa (AFE) pelo Ministério da Saúde;
  • certificado de boas práticas de distribuição e armazenamento de produtos médicos emitido pela ANVISA.

Há, ainda, que se mencionar portarias e regulamentações específicas, como as emitidas pelo INMETRO. Esses documentos vão garantir que os materiais estão dentro dos protocolos necessários.

Busque referências com outras empresas

Ninguém vai saber melhor da qualidade de uma empresa do que outro cliente. Na prática, isso significa buscar referências com outras instituições. O contato entre clínicas ou mesmo com hospitais é capaz de oferecer respostas essenciais.

Durante o período atual, houve uma corrida por itens de EPI, o que levou ao surgimento de novos fornecedores em potencial. Para não precisar arriscar a segurança da sua equipe, é muito válido conversar com quem já tenha feito negócio com as novidades de mercado.

Faça avaliações periódicas das compras

Comprar em grande quantidade é comum em se tratando de suprimentos médicos. O contato direto da gestão com esses materiais é indispensável. E isso significa, inclusive, fazer avaliações periódicas com os produtos adquiridos.

É importante verificar se os itens atendem ao que está especificado na embalagem, por exemplo, e avaliar se sua durabilidade condiz com o que foi negociado. Esse tipo de cuidado previne sucateamentos e prejuízos. Se, eventualmente, a qualidade de algum item decair, será mais fácil reavaliar a compra e mudar de fornecedor, se for o caso.

Confira a proporção entre investimento e qualidade

Uma luva com um custo muito abaixo da média pode até aparentemente trazer os mesmos resultados, mas, provavelmente, com um tempo de vida muito menor e também com chances de comprometer os resultados e se rasgar com mais facilidade. Ou seja, o preço não é e não pode ser o principal critério para a compra de suprimentos médicos.

Na verdade, dentro do processo de escolha e de manutenção de fornecedores, é essencial sempre fazer uma proporção entre valores e resultados. O investimento precisa ser avaliado conforme durabilidade, qualidade e disponibilidade. Só assim, será possível determinar que se trata da melhor opção.

Convém mencionar que esse cuidado com o fornecedor não deve se limitar aos suprimentos médicos, mas também a outros setores. Os equipamentos médicos da DIMAVE contam com suporte especializado, por exemplo, o que garante mais confiabilidade em sua aquisição. Para um hospital ou clínica médica, essa possibilidade de contato rápido faz toda a diferença em tempo e dinheiro.

Em resumo, os suprimentos médicos são tão importantes quanto a equipe de um estabelecimento médico. É por meio de materiais de boa qualidade que o nível de atendimento será determinado. Portanto, é essencial que a gestão tenha fornecedores de qualidade e faça apenas aquisições que se transformem em bons investimentos.

Conseguiu entender melhor a importância do gerenciamento desses materiais? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter e aprender mais sobre gestão hospitalar! Você vai receber apenas conteúdos relevantes diretamente na sua caixa de e-mails!

Você também pode gostar

Deixe um comentário