Conheça 5 principais funções do ventilador pulmonar

Conheça 5 principais funções do ventilador pulmonar
7 minutos para ler

Doenças ou falhas congênitas no pulmão e no coração podem afetar o movimento natural da respiração, colocando a vida das pessoas em risco. Para manter as funções respiratórias, é utilizado o ventilador pulmonar, que, inclusive, neste momento de pandemia do novo coronavírus, tem sido de extrema importância no auxílio aos médicos para o combate à doença a fim de salvar vidas.

Quando a capacidade respiratória fica comprometida, estamos diante do momento de instalar o aparelho para bombear a mistura com oxigênio, monitorar o paciente e a doença e determinar medidas seguras para a ventilação. Nas próximas linhas, falaremos sobre esse importante aparelho que é determinante para a manutenção da vida. Quer saber como ele funciona, as suas modalidades e as suas principais funções? Continue a leitura!

O que é um ventilador pulmonar?

É um equipamento essencial para a sobrevivência nos momentos de grande comprometimento das atividades cardiorrespiratórias. Durante o período em que o paciente não consegue fazer o movimento respiratório sozinho, o aparelho faz, de forma mecânica, os movimentos que deveriam ser realizados pelo pulmão e mantém a circulação do oxigênio pelo corpo.

Como ele funciona?

O ventilador pulmonar substitui o movimento natural da respiração, mantendo a troca gasosa. Ele pode ser usado através das vias aéreas, pelas vias orais ou por traqueostomia, mandando oxigênio para os pulmões e, depois, retirando a pressão para a expiração, mantendo a troca dos gases.

Qual a diferença em relação ao respirador?

Embora muitas pessoas confundam os dois termos e utilizem como se fossem a mesma coisa, eles são diferentes. O ventilador mecânico é o aparelho que consegue substituir o processo respiratório e realiza, de forma artificial, a respiração pelo paciente quando ele não é capaz de fazê-la de modo satisfatório.

O respirador é qualquer instrumento que facilite a respiração, seja o aparelho mecânico, seja um nebulizador, seja qualquer outro que “assessore” na troca de gases. Ele é bastante usado no auxílio da recuperação respiratória, colaborando para a respiração quando há algum desconforto pulmonar, facilitando o esforço respiratório.

Quais as modalidades existentes?

O instrumento tem diversas funcionalidades (ou modalidades) e o uso vai depender do quadro e da necessidade do paciente. Em alguns casos, o aparelho faz a maioria dos processos e, em outros, o paciente interage mais. A seguir, falaremos das modalidades disponíveis. Continue a leitura!

Ventilação com Volume Controlado (VCV)

Nessa modalidade, é feita a fixação do volume, da frequência respiratória e do fluxo inspiratório. O disparo, que é o início da inspiração, acontece de acordo com a frequência respiratória estabelecida previamente. Após atingir o volume definido, ocorre a ciclagem. A pressão varia com a ação respiratória do paciente.

Ventilação com Pressão Controlada (PCV)

Nessa modalidade, a dinâmica ventilatória do paciente interage com o processo mecânico. A frequência respiratória, o tempo e o limite da pressão inspiratória são fixados, com a pressão limitada durante toda a fase inspiratória. O fluxo é livre e desacelerado e a ciclagem é regulada por um tempo.

Ventilação Mandatória Intermitente Sincronizada (SIMV)

Nessa ventilação, os ciclos mandatórios são determinados previamente levando em consideração o esforço inspiratório do paciente, fazendo uma sincronia e ocorrem de acordo com a frequência do paciente.

Ventilação com Pressão de Suporte (PSV)

Aqui, o disparo é feito exclusivamente pelo paciente, seja pela pressão, seja pelo fluxo. Nessa modalidade, a pressão é mantida durante a fase inspiratória e é ciclada quando cai o fluxo inspiratório, frequentemente por volta de 25% do pico. O esforço respiratório do paciente e as condições do funcionamento do pulmão vão determinar o volume.

Pressão Contínua nas Vias Aéreas (CPAP)

É a modalidade em que o paciente respira espontaneamente e o aparelho disponibiliza uma pressurização contínua.

Quais as principais funções?

O ventilador pulmonar tem como principal função substituir o processo respiratório, funcionando como um pulmão artificial, levando oxigênio e retirando o dióxido de carbono. Destacamos, abaixo, algumas funções associadas.

1. Substituição do movimento natural do corpo

Nos casos de pacientes mais graves, em que o esforço pulmonar não é suficiente para o processo da respiração, o equipamento funciona como um verdadeiro pulmão artificial.

2. Uso como suporte

A dificuldade na respiração pode advir de doenças congênitas no pulmão e no coração que podem requerer o suporte do aparelho para a recuperação total ou durante toda a vida.

3. Troca gasosa

Ainda que não seja utilizado com todos os recursos disponíveis, já que, em algumas modalidades, o paciente consegue interagir, o aparelho colabora para a absorção do oxigênio e para a eliminação do dióxido de carbono. Ele é sempre decisivo para que a troca gasosa seja efetiva.

4. Descanso da musculatura respiratória

A ventilação mecânica promove o descanso do músculo respiratório na medida em que assume o processo da troca gasosa de forma artificial. Quando o paciente apresenta uma boa recuperação e vai deixar o aparelho, é importante fazer o treinamento muscular respiratório no “desmame” da ventilação.

5. Tratamento de doenças respiratórias

O aparelho auxilia pacientes que sofrem com a redução da capacidade respiratória. Durante uma crise de asma aguda, pode ser requerido o suporte ventilatório invasivo, embora essas intervenções não ocorram com frequência.

Quais as falhas possíveis e o que fazer para evitá-las?

Os ventiladores pulmonares são equipamentos que necessitam de manutenção constante, tanto para a prevenção quanto para a correção. Todos os cuidados devem ser tomados, já que são aparelhos essenciais para a sobrevivência.

Para evitar possíveis falhas, é preciso considerar três pontos: o aparelho, o profissional que fará a manipulação e o ambiente. No ambiente, devem ser observados a energia, as instalações elétricas, a temperatura e o fornecimento de gases. Já os profissionais precisam estar atentos à utilização correta dos parâmetros, sempre de acordo com a necessidade do paciente, e aos problemas provenientes do mau uso. Por fim, o aparelho deve ser testado considerando as informações técnicas, os sensores, as válvulas e os vazamentos.

Como você viu, o ventilador pulmonar é um equipamento essencial, principalmente no atendimento aos pacientes graves da Covid-19. O vírus provoca um processo inflamatório que atinge o aparelho respiratório, causando pneumonia nos casos mais graves. Esses aparelhos são disponibilizados nos CTIs e nas UTIs dos hospitais de todo o mundo, garantindo qualidade no atendimento e salvando vidas. Por todos esses motivos, é importante a aquisição de aparelhos de qualidade para que um bom atendimento seja oferecido e para assegurar que as necessidades dos pacientes serão acolhidas.

Quer saber mais sobre equipamentos médicos? Leia o nosso outro artigo e tenha acesso ao melhor conteúdo!

Você também pode gostar

Deixe um comentário